Loading...
Contos Infantis

A garça e o formigueiro

Lição: Respeitar as diferenças, e ajudar a reparar algum dano.

Era uma vez, uma garça tinha hábitos muito diferente das outras garça de seu bando. Seu nome era Minoá.

Enquanto as outras garças iam para os lagos se alimentarem de peixes e sapos, a Garça Minoá era apaixonada por comer grama.

O que? Grama?

Isso mesmo, ela amava uma graminha bem verdinha.

As outras garças muitas vezes magoavam Minoá, com comentários feios sobre seu estilo alimentar.

Pobre da Minoá, ela ficava tão chateada por não ser respeitada pelas outras garças, que as vezes ela até conversava com as flores, para contar a elas o quão ela estava triste.

Um dia, enquanto as demais garças estavam na beira do lago para se alimentar dos peixes que ali viviam, a garça Minoá foi até a margem do rio para se alimentar de seu prato preferido, grama fresquinha.

De repente, começou uma confusão de formigas, por toda a parte haviam formigas correndo. Minoá ficou assustada e com medo de ser picada, mas valente ela perguntou para uma formiga bem grandona que saiu daquele lugar cheio de terra:

– Olá dona formiga, por que vocês estão correndo tanto?

E muito brava a dona formiga respondeu fazendo novas perguntas:

– Como assim? Você destruiu a nossa casa e ainda pergunta o motivo de estarmos correndo? Aiaiai

Poxa; Minoá ficou tão triste por ter destruído a casa de tantas formiguinhas. Então ela disse assim para a dona formiga:

– Me desculpe dona formiga, eu não sabia que havia tanta terra assim perto dessa grama, e muito menos que aqui morava tantas formigas assim.

A dona formiga balançou a cabeça, como que dizendo a dona garça que estava muito chateada. Aquela formiga era a rainha de seu formigueiro, e sabia que teria de arrumar outro lar para todo o formigueiro.

Então a dona garça continuou seu discurso, que foi mais um desabafo:

– Sabe, eu queria ser igual a vocês, sempre tão unidas trabalham juntas, e não ficam zombando umas das outras. Olha lá, toda a minha família de garça está comendo peixes, e eu sou apaixonada por comer gramas…eu sou mesmo muito diferente, até parece que só faço coisas erradas…poxa, me desculpe mesmo.

A dona formiga respondeu:

– Sinto muito dona garça, mas de uma coisa você tem razão, essa grama é realmente muito saborosa – E sorriu.

Minoá abriu um belo sorriso, pois encontrará alguém que também gostava de comer grama, mesmo sendo tão diferente dela, ambas tinham um gosto em comum: o de comer grama.

A garça então disse bem animada para a dona formiga:

– Já sei, eu posso ajudar você a consertar a casinha de todas as formigas!

Feliz a dona formiga fez um som (ou cheiro) para todas as formiguinhas voltarem ao formigueiro, e então elas recomeçaram o trabalho.

A garça voou para um pouco mais longe, colocou bastante terra em seu bico e levou até o formigueiro. Recolheu umas graminhas e levou para lá também.

E bem rápido o formigueiro estava restaurado, na verdade estava ainda maior e mais bonito.

As formigas ficaram muito felizes pela ajuda de Minoá, e ela se sentiu tão bem por ajudar que disse a dona formiga:

– Obrigada por me deixar ajudar a consertar o que estraguei sem querer, me senti muito bem por ajudar.

A dona formiga sorriu e lhe disse:

– Nós que agradecemos dona garça. No início fiquei muito brava contigo, mas entendi que foi sem querer, e fiquei muito feliz por ter ajudado a reparar a nossa casinha.

As outras garças que estavam no rio zombando de Minoá, não estavam entendo nada, pois Minoá parecia ainda mais maluca comendo terra, como se já não bastasse comer grama. Então uma das garças se aproximou e entendeu o que havia acontecido.

Rapidamente ela voltou junto ao bando e contou tudo o que estava acontecendo.

Quando Minoá voltou junto de seu bando, as outras garças estavam envergonhadas, por terem falado mal de uma garça tão bondosa. E uma das garças lhe disse:

– Sabe Minoá, temos que pedir desculpa para você, tivemos um pouco de dificuldade em entender seus gostos diferentes, e não aceitamos que pensasse diferente de nós, mas depois do ato de bondade junto ao formigueiro, vimos que você realmente é diferente de nós e possui um bom coração. Você pode nos perdoar?

Minoá mal podia acreditar no que ouviu, e bem animada respondeu:

– Mas é claro que perdoo vocês!

Elas se abraçaram entre penas e bicos, fizeram tanto barulho que até as formigas saíram para ver.

Depois de um longo dia, todas voltaram para suas casas, e puderam descansar com o coração feliz. Cada uma com seus gostos, e respeitando as diferenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *